Wednesday, January 1, 2014

1° de Janeiro

O Projeto, A Pessoa e as Expectativas.

Antes de abrir minha cabeça para aqueles poucos que encontraram o cominho para esse obscuro lugar, faze-se necessário explicar o que é O projeto Vagalumes Urbanos, quem sou eu, e o que esperar dessa curiosa experiência não tão única, não tão especial, mas definitivamente minha.
Tantas coisas importantes para dizer e explicar, por onde devo começar?

            "Comece pelo começo," disse o Rei gravemente, "e prossiga até chegar ao fim; então pare.”.
                                                           As Aventuras de Alice No País das Maravilhas.
 Seguindo o conselho do meu amigo, o Rei de copas, começaremos pelo principio.  Antes das expectativas existe o projeto e antes do projeto existe... Os dedos e a mente por trás das letras, esse parte ai, sou eu.
Criação da minha própria imaginação, não sou mais do que a sombra de vontade, a poesia dês-rimada de um ser que já não é... Isso, em outras palavras quer dizer: tenho vinte e dois anos e me sinto como se tivesse oitenta e três e dois meses, sou uma velha jovem menina que ama literatura infantil, perco horas imaginando grotescas cenas de horror na minha cabeça, e gosto de pensar que estou começando a me aventurar no mundo da ficção cientifica.
Por favor, me chame de M.

Não me lembro exatamente quando foi que eu comecei a escrever, ou o que foi a primeira coisa que eu escrevi na vida, mas agradeço ao dia que eu pense em usar meu lápis faber-castel verde para escrever em vez de desenhar, por que seremos honestos aqui, eu sou horrível desenhando, e por ser bastante cruel, eu vou deixar que seus olhos sejam eternamente marcados pelos rabiscos que eu faço...
 A verdade é que eu vivo mais dentro da minha própria cabeça, nos meus mundinhos com os personagens que eu invento e me relaciono, do que com as pessoas reais. Ou pelo menos vivia, estou aprendendo a resocializar de novo, mas para não deixar a minha paixão cair por terra, eu resolvi criar o projeto Vagalumes Urbanos.
Em resumo, eu sou M. tenho vinte e dois anos e não sou feliz. Mas estou aprendendo a ser. 
Agora, uma importante pergunta: O que vem a ser meu pequeno e pessoal projeto?  Explico, os Vagalumes urbanos surgiram em uma conversa com meu progenitor, eram um dia de chuva e a gente estava falando alguma besteira qualquer ele me diz o seguinte:
“Os faróis de carros hoje em dia são os vagalumes urbanos.”
Aparentemente isso não quer dizer nada, mas pra mim...  Aquilo foi uma nova forma de ver as coisas... Ver uma beleza quase poética nas coisas mais comuns e mundanas.  E com esse espírito novo  que eu decidi me desafiar a criar  365 coisas originais.
Note aqui que eu disse coisas, isso quer dizer: poemas, contos, crônicas, anedotas, desenhos , tirinhas... De fato qualquer forma de expressão, escrita ou não. A única regra é, tem que ser feito por mim. Tecnicamente deve ser algo novo um por dia, mas...Isso não significa uma postagem por dia, infelizmente eu preciso de internet para postar as coisas e ainda que necessária esse não é um recurso disponível em qualquer lugar que eu vá.
Vou deixar bem claro aqui que eu não tenho pretensão de que  as coisas que eu escreva sejam boas, que façam  qualquer forma de sentido e que sejam inspiradoras a ponto de fazer uma vida mudar. È apenas minha pequena válvula de escape, e eu estou deixando essa porta aberta a visitações.
Acho que faço isso por que tenho medo de me abrir para as outras pessoas e talvez se o fizer, possa dizer a mim mesmo que sou mais corajosa que de fato pareço ou me sinto.
Então, é isso, seguimos na estrada de tijolos amarelos indo para lugar nenhum, mas continuamos indo para a frente!
Seja você quem for:

Bem-vindo aos Vagalumes Urbanos 



No comments:

Post a Comment