Friday, January 3, 2014

3 de Janeiro

Uma Poesia Qualquer.

O que há de errado comigo?
            Perdida em minhas horas de sono
            Sonhando acordada
            Imaginando um estranho sem nome
            E o sinto como o mais intimo de meus amigos.

O que será de mim?
            Que me sentia confortável em meu mundo virtual
            Com minhas rimas em nanquim
            E agora, por culpa tua querido estranho,
            Me sinto vazia,
            E começo a buscar resposta no temido mundo real.

Como poderei vencer
            O rubor que toma minha face
            Cada vez que me pego pensando em você?


Seria normal
Sonhar com mãos a me acariciar
Palavras sussurradas
Sem saber que nome devo chamar?
Sem se quer conseguir imaginar
A cor dos olhos que quero olhar?
Mas o que há de errado comigo?
Se mal consigo fazer amigos
Por que me entrego  tão plenamente
A  esse estranho desconhecido?

Já não me contento com as palavras rimadas
Ou os versos feitos para mim
Quero algo que não posso tocar
Busco o nome atrás das palavras
Me entrego ao meu estranho
Sem medo de me machucar
E como poderia?
Se como apenas as palavras
Já fizeste meu coração saltitar

No comments:

Post a Comment