Saturday, January 25, 2014

25 de Janeiro

O exterior do preto acordeão, arranhado, mas reluzente, ia para um lado e para o outro, enquanto os braços de Hans apertavam os foles empoeirados, fazendo-os sugar o ar e tornar a expeli-lo. Na cozinha, nessas manhãs, papai dava vida ao acordeão. Acho que isso faz sentido, quando a gente realmente pára para pensar.
Como é que a gente sabe se uma coisa está viva?
Verifica a respiração.


Eu já tentei ler esse livro uma vez antes, e agora eu peguei ele de novo e estou lendo com novos olhos, e ess foi a parte que eu mais gostei quando eu li da outra vez, e quando eu li dessa vez... Me apaixonei de novo. então... Eu dediquei um pouco mais de trabalho pra essa citação.




No comments:

Post a Comment