Wednesday, March 12, 2014

11 de Março

Antes de você ler isso lembre-se isso é um poema feita, escrito apenas para ser ouvido, não lido, mas como eu não vou me apresentar em lugar nenhum em nenhum tempo futuro... Fica aqui o meu registro.

Virtual

Você já sentiu saudade de alguém que você nunca viu?
Já sofreu por alguém que nunca te escutou?
Alguma vez você já ansiou por um abraço de braços desconhecidos?
Um beijo de lábios distantes?
Você já amou as palavras de alguém a ponto de senti-las
Como carícias na sua pele,
E cada virgula, Cada ponto...
Cada pausa era mais que um simples rabisco em uma carta
Um pedaço de código na tela de um computador?
Pois eu já...
Você já sentiu-se só na rua
Onde cotovelos e braços roçavam em você
E sentiu-se a pessoa mais completa em um canto,
Segurando um telefone
Um telefone que você sabia que ia tocar?
Já gritou no seu quarto quando a luz acabou
Já sentiu seu estomago tremer
quando o celular vibrou inesperadamente?

Eu já...
Quantas vezes você ouvi
Os outros falaram,
rirem
E comentarem que
Aquilo que você ama
O que se tornou sua pedra base
Não é real.
Se você não pode tocar...
Não é real?!
Se você não pode sentir quer dizer que...
É mentira?!

Você já se questionou?
Se perguntou
E se machucou por não saber a resposta
Será que eles tem razão?
E QUEM são eles?
Quem são eles para saberem?
E desde quando sentimento virou pele
que precisa de pressão para ser sentido
E desde quando a realidade é palpável
Que credita em átomos e não acredita em mim
E desde quando eu não controlo o meu sentimento?

Você já ouviu risadas ás suas costas por que você se apaixonou...
Por alguém atrás de uma tela de computador?

Eu já...
E me perdi em dicionários,
Em buscas e definições,
Que me explicaram que o não real
É a apenas a potencializarão de algo.
E eu...
Eu acreditei em mim
Acreditei no meu
ESTÚPIDO coração
que mentiu
Me enganou
Dizendo que mesmo longe , eu podia te sentir perto
Que mesmo distante a gente...
E me fez acreditar que a distancia não era certo
E eu fazia parte de um Nós.
 
Você  já se sentiu vazio?


Eu já...

1 comment: