Monday, March 24, 2014

24 de Março

Não se atreva a chorar.

            Nina estava terminando o banho quente quando seu computador, ligado na mesa ao  lado da cama fez o familiar e reconhecível som, era uma chamada no skype, e uma chamada as duas da manhã só podia de uma pessoa, Ainda com a toalha nos cabelos e uma camiseta larga de mais caindo pelo ombro, ela sentou-se na cadeira com um enorme sorriso.

            Ela acena energeticamente para a tela quando vê o rosto de seu único amor na tela ondulante.
            – Oi meu bem!
            –Nina – responde o jovem de cabelos escuros e olhos cor de menta. Arqueando uma sobrancelha  – Belo Turbante
             Corando, Nina retirou a toalha e desembaraçou os maiores nós de seus cabelos cor de mel com os dedos enrugados do banho
            – Acabei de tomar banho, não é minha culpa.
            – Você tomou banho? – disse ele consternado – SOZINHA! – então fingiu desfalecer na cadeira. 
            Nina riu e virou os olhos olhando ou redor da mesa, procurando a caneca de café.
            – Espera um minuto, vou pegar um café pra mim.
            – Eu também quero.
             – Com um pitada de canela o seu?
            –  Você me conhece tão bem – ele riu.
 Nina levantou-se e foi para a cozinha, ela trouxe duas canecas, uma vazia, a dele e a dela com café e uma pitada de canela, era o preferido do Arthur e desde que ele começou a viajar, era a única maneira que ela conseguia beber café, por que ... ajudava ela a se sentir mais perto dele.
Ela sentou-se de novo e levantou a caneca dele, antes de coloca-la na mesa e bebericar de seu café.
– Sinto sua falta. – disse ele com um longo suspiro
– E eu a sua...
– Eu volto para casa logo... Eu preciso voltar.
– É bom mesmo, ou vou sequestrar todas suas camisas. – ela disse com uma leve gargalhada, mas estava usando uma camisa dele, ainda havia um pouco do cheio do perfume dele no tecido, mas depois de tanto tempo... Só o cheiro não ajudava mais.
– Pode ficar com quantas você quiser.  
– Até a azul com cinza ?
–  Não...
– Mas eu quero aquela Arthur! – choramingou Nina
– A gente divide? – Ele tentou com um sorriso largo, mas cheio de saudade impressa nos olhos dele.
Ele se movimentou na cadeira, e Nina pode ouvir passos por trás dele, ela estava muito feliz por ele ter finalmente conseguido algum sucesso com a banda, ela mesma ajudou a produzir alguns shows dentro do shopping da cidade mas agora, que eles estavam fazendo uma turnê nacional... Agora que ele ficava fora por semanas e mais semanas... Ela não achava tão legal assim.
– Me diz uma coisa ursinha... Você têm dormido direitinho?
– Claro.
Era mentira, ela não conseguia dormia nem um pouco, ela deitava na cama cansada e ficava pensando nele, no trabalho dela, nas coisas pra fazer, na casa para arrumar, o cachorro para cuidar...  E acima de tudo, sem ele para dormir do lado dela, qual graça tinha? Como ela possivelmente conseguiria dormir sem ele?
Mas ela não podia preocupa-lo, ele já tinha coisa de mais na cabeça, por que se preocupar com a namorada que estava quilômetros de distancia?
– Eu tenho a cama todinha para mim, não poderia estar melhor.
– AI – Arthur pos a mão sobre o coração – É isso que eu sou? Um espaço na cama? 
Ele riu, ela também.
– Já fez o show de hoje?  – perguntou ela
– Já, estamos indo para o Hotel daqui a pouco.
– Genial! Como foi?
– Incrível, O Marcelo Gravou uns vídeos pra você.
– Mal posso esperar!
– Já jantou?
– Humrum. Pizza.
– Sortuda.
– Prometo pedir pizza por uma semana quando você voltar
– E beijos? – perguntou ele esperançoso.
– E beijos. – você piscou maliciosamente para a tela.
– Tenho que ir... estamos indo embora já. Boa noite meu amor.
– Boa noite. Você me liga amanhã?
– Assim que eu acordar.
– Te amo Arthur...
– Te amo Nina...
A ligação foi finalizada e ela sentou na cama fechando o computador e agarrando-se a um travesseiro e apertando com força, deixando as lágrimas que haviam sido controladas escorrerem pelo rosto e pingarem no travesseiro. Toda noite era a mesma coisa, ela se fazia de forte, fingia estar bem... Mas era impossível estar bem quando ele estava longe...  Ela sabia que ele estava aproveitando os frutos de um trabalho árduo dele, mas honestamente, ele estava fora por tempo de mais...





No comments:

Post a Comment