Thursday, March 6, 2014

6 de Março

Sentados a noite observando os mosquitos passar pela luz amarela opaca do poste, ele e ela tinham as palmas juntas enquanto falavam, era um simples gesto, mas quando eles faziam, era algo... Deles.
                – Posso falar uma coisa? – Perguntou ela
                – Desde que você não pesa para casar comigo. – ele brincou, e ela riu.
                –  Não, não... Eu queria te mostrar uma música... uma música que me faz ...Pensar em você
                – Hm... Não acho que isso seja uma boa ideia.
                – O que exatamente? – ela perguntou curiosa.
                – Juntar músicas e pessoas. Você acaba perdendo músicas valiosas ao longo da sua vida.
                – Que quer dizer com isso? 
                –  Pessoas vem e vão da sua vida, e quanto mais coisas você tiver que te faça lembrar da pessoa que se foi...  Evite perder as melhores coisas da sua vida por pessoas que não valem a pena.
                – Você fala com experiência, ou pelo menos, soa como se tivesse experiência, não sei se eu gosto do som disso ou não.  
                – Eu dei a uma pessoa a coisa mias importante que eu tinha minhas palavras, eu escria para ela, eu criava para ela, tudo que eu fazia era inspirado nela e para ela. E ... Inevitavelmente, ela  me deixou... E eu fiquei despalavriado.
                – Ooh... Então foi uma mulher.  È sempre uma mulher né.
                – Foi...E para de rir, isso é sério!
                – Sim, sim, claro, prossiga.
                – O que eu quero dizer é... Eu sei que musica e importante para você e eu ... Não quero estragar musica para você
                – Você não vai estragar a música pra mim, me dê um pouco de crédito... Se dê um pouco de crédito. Até por que...  Seria pior perder você do que perder uma música.  Não me olha assim!
                – Essa sua forma de pensar é adorável.
                – E a sua é completamente pessimista.  
                – Pessimista e insano. 
                – Como é?
–  Eu sou um pessimista que vive fazendo as  mesmas coisa esperando um novo resultado.
– E o que exatamente você vem fazendo igual?
– Dando as minhas palavras para outra pessoa.
– E para quem você deu suas palavras agora?

– Você.




No comments:

Post a Comment