Monday, April 28, 2014

28 de Abril

Direções Infinitas.

E se... ?


Havia noites em que Ana ficava deitada na cama, olhando o teto enquanto ouvia a respiração de Thiago e Guilherme sonolenta e pesada de cada lado dela. Sentia seus pensamentos devaniavando-se para os cantos sombrios de sua mente. Eram nessas noites, quando Ana não conseguia parar de mover os pés, e suas costas coçavam de mais, que a jovem se perguntava : O que porra eu to fazendo da minha vida?
Ana havia largado a faculdade, algo que de fato era boa, tinha boas notas, um bom emprego... Por que então não conseguira ser feliz naquela época?
Aquilo era o que as pessoas chamavam de vida não?
 Estudo, trabalho, comida, bebida, estudo, trabalho,  comida,repete.
Trabalho, comida, estudo, comida, trabalho, estudo, café, estudo, estudo,
Repete.
Repete...
... Repete...
Porra!
Ela estava suando naquela noite fria, não havia desconforto, não havia se quer calor para  fazê-la suar, mas ainda sim, ela sentia a temperatura subindo, não ao redor dela, mas dentro.
Era um calor grudento, como vapor que sobe do asfalto depois de uma repentina chuva de verão, intenso, morno, e completamente impossível de escapar. Ela sabia que esse calor vinha sempre que ela se deparava com aqueles momentos assustadores em que você finalmente se dá conta qie as escolhas que você faz... Aquilo é sua vida!
Essa realização a assustava, toda a vez que ela percebia isso... Temia por tudo aquilo que fez, mas mais ainda por todas as escolhas que deixou de fazer...
Levantou-se da cama com cuidado para não acordar nem Guilherme nem Thiago e caminhou ate a cozinha. Era a parte mais fria da casa, havia sempre uma infernal corrente de ar que esfriava demais a comida, mas em noites quentes, quando Ana não conseguia dormir e precisava de um pouco de ar,  aquele era seu lugar preferido.
Sentou no chão frio e tentou não pensar.
...
Mas...
E se...
E se não houvesse largado a  faculdade... Estaria formada agora, provavelmente trabalhando com o amigo de sua avô, ganharia bem...
 Não haveria aquela chatice de ficar sem luz alguns dias por que seu pagamento saia muito depois do vencimento da conta de luz... Ela não teria que dormir pela manhã quatro vezes na semana...
Não haveria nenhum problema com cheiro de bebida, que para Ama se transformara em algo bastante enjoativo depois de trabalhar tantas horas com aquele constante odor dançando e, suas narinas...
E se ela tivesse escolhido outra profissão...
Sempre fora muito boa em matemática, podia ser professora de cursinho...
Os pensamentos  eram tão densos que pareciam afoga-la, de repente ficou difícil de respirar e Ama teve que suprimir um grito em sua garganta...  
Foi nessa hora que Thiago entrou na cozinha, com os olhos meio abertos  tropeçando nos próprios pés por culpa do sono, ou talvez da luz.
O jovem abriu a geladeira e olhou para o lado, onde viu Ana sentada contra parede. Thiago esfregou os olhos e suspirou.
- Aqui - disse ele entregando a Ana uma lata gelada de guaraná enquanto passava o braço forte ao redor da cintura dela. - Você precisa de algo gelado para se acalmar e voltar a dormir.
- Como sabe que eu preciso me acalmar?
-Por que eu conheço cada um dos seus trejeitos... Cada uma das suas carinhas e caretas... Anda, bebe, respire e vamos pra cama.

Ana acenou com a cabeça a abriu a latinha com um pequeno sorriso,  se ela não houvesse feitos as decisões que fizera... Ela não estaria tão feliz.

No comments:

Post a Comment